segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

O que é Veganismo?

Veganismo é uma filosofia de vida. Muitos utilizam este termo apenas com o significado de Vegetarianismo Estrito, que abrangeria tão somente a alimentação. Mas para sermos mais corretos, devemos usar o termo Vegano apenas quando estivermos nos referindo a uma pessoa que não apenas não come carne, ovos, leite, mel e outros alimentos de origem animal, mas também não compra nenhum produto de origem animal, se recusa a participar de eventos onde há exploração animal (como muitos circos, todos os rodeios, touradas e corridas de cavalo) e ainda boicota marcas de cosméticos e outros que fazem testes em animais.

Há ainda uma diferenciação, na aplicação do termo com relação ao debate Abolicionismo versus Bem-estarismo. O Bem-estarismo defende que os animais devem ser tratados de forma "humanitária" (bota áspas nisso!). Isso implicaria em Leis regulamentando as formas de extração de leite das vacas leiteras, a coleta dos ovos das galinhas e até mesmo (acredite se quiser!) o abate "sem crueldade" de vacas, porcos, e outros animais destinados ao prato dos seres humanos. Sim, existem pessoas que se dizem veganas e ainda são bem-estaristas. Suponho que elas voltariam a comer carne tão logo a Sadia anunciasse estar praticando o "abate humanitário" - termo aliás muito curioso, já que o abate de seres humanos para consumo é ilegal.

Já o Abolicionismo defende a libertação de todos os animais que hoje estão sendo usados (bem ou mal) pelos seres humanos. Isso inclui acabar com o consumo de carne, ovos, leite, mel, couro (e todas as outras peles animais), lã, seda, pérolas e seus derivados. Boicotar circos que utilizam animais, rodeios, vaquejadas, touradas, corridas de cavalo, serviços que utilizam tração animal, como carroças e arados, empresas que fazem testes em animais e cursos da área de saúde que ainda praticam a vivissecção (em pleno século XXI !).

Mas também inclui não comprar animais, para qualquer fim que seja. Pois isso sustenta um mercado que não dá a mínima para eles. Se você gosta de cachorros e gatos, adote! Existe um número enorme de cães e gatos abandonados pelas ruas, um pequena porcentagem deles ainda consegue ter a sorte de serem levados para um abrigo de animais de rua. Mas esses abrigos não devem ser um fim em si, devem sim é ser um meio, onde o animal fica até ser adotado. Por isso, digo novamente, não compre animais domésticos, adote e castre. Só assim o problema do abandono poderá ser resolvido um dia, mesmo que a longo prazo.

Segundo a minha definição de veganismo, um vegano deve ser também, por hipótese, um abolicionista, mesmo que ele não seja um ativista. Isto é, mesmo que ele não participe ativamente de movimentos pró-animais, mesmo que ele não pratique "terrorismo" vegan (libertar animais de cativeiros industriais), mesmo que ele comtribua para a libertação animal só com sua atitude em âmbito individual (se abstendo de todos os ítem citados acima), por exemplo indo morar no meio do mato e esquecer dos horrores que continuam acontecendo no mundo... mesmo assim, ele pode ser considerado um vegano.

Mas há também o outro tipo de vegano, que é o ativista, ou seja, aquele que além de não financiar a exploração animal, também luta ativamente pelo fim dela, participando de debates, protestos, eventos pró-animais... enfim, tentando informar cada vez mais pessoas sobre as crueldades que são praticadas contras os nossos irmãos não humanos e assim tentar acabar com essa escravidão na qual eles são mantidos, nem que isso leve 100 anos.
 






Sites interessantes:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Veganismo

http://www.earthlings.com/

http://www.institutoninarosa.org.br/


http://papacapimveg.wordpress.com/razoes-para-se-tornar-vegetarianovegano/


http://www.guiavegano.com.br/vegan/


http://www.happycow.net/

http://www.anda.jor.br/category/artigos

Nenhum comentário:

Postar um comentário